Berna

Quando chegámos a Berna tencionávamos seguir logo para o Parque de Campismo, jantar lá e descansar. Mas, o tempo tinha piorado e chovia bastante. Não ia ser fácil, ainda tínhamos um longo percurso a pé para fazer, cerca de três quilómetros até ao parque. Perante as condições decidimos ficar mais um pouco na estação e esperar que o tempo melhorasse. A estação parecia um autêntico centro comercial, com lojas e espaços de refeição. Dadas as circunstâncias acabámos por comprar um hambúrguer de quinoa do McDonald’s, que acompanhado por uma bebida vegetal e fruta transformou-se num jantar quente e agradável.
Como a chuva não parava, tivemos mesmo que pôr pés ao caminho. Vestimos o impermeável e seguimos até ao destino.
Já no parque, reparámos que a recepção estava fechada. Deve dar para imaginar a nossa cara!? Não queríamos acreditar que estávamos ali, debaixo de chuva, e a recepção tinha fechado cerca de uns dez minutos antes. A primeira ideia foi entrar, montar a tenda e tratar da reserva no dia seguinte. Estávamos convictos de que era a única solução mas, mesmo assim, decidimos primeiro bater à porta da recepção… com um bocadinho de sorte, poderia estar lá alguém… e, não é que estava mesmo!? Ufa! Encharcados mas com o problema resolvido! Tratámos da reserva e comprámos a moeda para poder usufruir de um banho. Apesar de já termos experimentado vários parques de campismo, não temos conhecimento de existir este sistema em Portugal, mas é possível que exista. Os banhos não estão incluídos na estadia e a moeda permite esse acesso mas com tempo determinado(apenas 3 minutos). Para evitar desperdício, de água e de tempo, é conveniente fechar a torneira sempre que possível ou corre-se o risco de não ter água suficiente para terminar o banho.
Por sorte, na hora de montar a tenda, a chuva parou!! A dormida não foi a mais confortável(não levamos colchonete e sentia-se um pouco a dureza do chão, mesmo com saco-cama), mas deu para descansar.

A nossa tenda!

Panorâmica do Parque de Campismo (Camping Eichholz).

Na manhã seguinte, acordámos bem cedo e aproveitámos para conhecer a cidade. Uma nota importante é que ao reservarmos alojamento em Berna (parque de campismo incluído) deu-nos direito a um passe gratuito para os transportes públicos (Bern Ticket), incluindo funiculares.

Bilheteira e entrada para o funicular (Gurtenbahn).

Mapa do Parque (Gurten – Park in Gruner).

Com essa vantagem aproveitámos para subir, no primeiro funicular da manhã, a Gurten (Gurtenbahn). Um espaço de lazer no alto da montanha. Era Domingo, e a grande afluência de famílias, ao parque, era visível. Curiosamente, os pais brincavam e passeavam com os filhos mas não se via ninguém com telemóveis, nem a falar nem a fotografar os próprios filhos. Era como se estivessem a desfrutar ao máximo do tempo em conjunto, sem a interferência de telecomunicações. Para nós, que observávamos estes pormenores atentamente, pareceu-nos o domingo ideal para qualquer família. Fez-nos recordar a nossa infância em que não havia espaços comerciais abertos ao domingo(tal como ainda acontece na Suíça) e este era passado a visitar os avós ou a fazer piqueniques(quando o tempo permitia). Tão bom!

Em plena descida no Gurtenbahn.

Panorâmica de Gurten.

Após um tempo de passeio pelos longos campos verdejantes e depois de várias fotos tiradas a partir do miradouro, descemos para a cidade, novamente. Passeámos ao longo das margens do rio Aare enquanto, mais uma vez, observávamos as famílias a desfrutar do Domingo, aqui em magníficos passeios de bicicleta. Pais e filhos de tenra idade. Vimos várias crianças com cerca de 2 anos de idade a andar de bicicleta(sem rodas de apoio) e trotinete de forma totalmente independente, apenas com a supervisão dos pais. Era delicioso observar tudo isto. A forma desinibida como manuseavam os pedais e buzinavam para que nos desviássemos do caminho… e, quando chegavam primeiro do que os pais ao destino combinado?! Simplesmente, saíam da bicicleta, colocavam-na com o descanso e esperavam encostados a um muro ou árvore… pareciam adultos em miniatura. Fenomenal!! Ficámos a saber depois, que toda esta independência precoce é normal, pelo menos em Berna. Até porque as crianças são educadas para irem sozinhas para a escola. Nos primeiros dias são acompanhadas pela polícia, que os ensina ao nível da segurança rodoviária e poucos dias depois, vão completamente sozinhos. Bom ou mau?! Não sabemos mas, que é magnífico vermos crianças de tão tenra idade mais desinibidas do que alguns jovens adultos do nosso país, disso não temos dúvida!

Berna e o Rio Aare

Enquanto passeávamos reparámos que a corrente do rio era bastante forte, o que nos pareceu perigoso uma vez que não havia qualquer vedação. Uns segundo depois, vemos um senhor(já com alguma idade) a ser levado pela corrente… ficámos perplexos! A água parecia gelada e a corrente assustadora mas o senhor parecia descontraído e ninguém reagiu ao facto de ele estar no meio do rio… foi quando começámos a prestar mais atenção. Do outro lado da margem passava um casal sexagenário em fato de banho(e não estava calor absolutamente nenhum!). No rio, apareciam placas informativas que referiam “última saída”… e, qual não é o nosso espanto quando o casal que tínhamos visto segundos antes apareceu, também, no meio do rio transportado pela corrente… foram-se aproximando da margem aos poucos e saíram na referida saída. Ao que parece, é habitual e deve saber bem a julgar pela motivação que demonstravam!

Centro histórico de Berna.

Continuámos a nossa visita pelo centro da cidade, observando e fotografando tudo o que achámos mais característico, tentando captar a sua identidade, através da objectiva.

Teatro de Berna.

Casa de Einstein (Einsteinhaus).

Nós e Albert Einstein.

Centro histórico de Berna.

No dia seguinte, ainda conseguimos dar uma escapadela a Utzenstorf, perto de kirchberg(onde ficámos alojados).

Landshut Castle, Utzenstorf.

Landshut Castle, Utzenstorf.

Landshut Castle, Utzenstorf.

Depois de termos usufruído da tranquilidade da paisagem, estava na hora de organizar o dia seguinte. Queríamos muito ir a Interlaken antes de fazer a Rota do Bernina Express mas, para isso, teríamos que organizar muito bem a viagem. Só tínhamos um dia para fazer tudo… mas, conseguimos!

Travel Blog and Lifestyle ## A paixão, de um, pela fotografia e de outro pela leitura e escrita fizeram com que nascesse a ideia de partilhar as experiências e locais visitados. ## QUEM SOMOS ## CONTACTOS

error: © All rights reserved