Sud Express: rumo a França

Foi a 30 de Agosto que iniciamos o nosso 1º interrail. O início de uma viagem mais ou menos planeada, mas com margem para alterações e imprevistos. Para fazer a viagem no Sud Express é exigida reserva, tanto para lugar sentado como para couchette(quarto/cama). Essa reserva deverá ser realizada na bilheteira pois, o site da CP não permite essa acção. O site da Renfe permite, mas não tem opção para o desconto do passe interrail, ou seja, é o mesmo que dizer que também não é possível. Por esse motivo, realizámos a reserva na bilheteira da estação de Porto – Campanhã, cerca de cinco dias antes do início da viagem. Nessa altura já só existiam couchettes disponíveis para reserva. E foi o que reservámos. De salientar que este comboio não possuí couchettes mistas, ou seja, para os casais que queiram ficar no mesmo quarto deve ser reservado o quarto de casal. É possível, mas um pouco mais caro.

Saímos da estação de Porto – Campanhã em direcção a Coimbra B, onde apanhamos o SudExpress até Hendaye. O comboio que saiu do Porto serve de ligação ao comboio internacional e, segundo a informação que nos foi dada na bilheteira, a ligação é garantida caso o mesmo se atrase. Embora se tenha atrasado, conseguimos chegar uns segundo antes do internacional, beneficiando do facto da plataforma ser a mesma. Após a chegada do comboio, bastou seguir para a carruagem mencionada no bilhete e mostrar o mesmo ao revisor que, normalmente, se encontra à porta. Neste comboio seguem vários revisores, cada um responsável por determinada carruagem. São eles que verificam os bilhetes e, durante a viagem, acordam os passageiros quando a sua estação de chegada se aproxima. Por vezes, guardam mesmo o bilhete mas devolvem-no no final da viagem.

Saímos de Coimbra às 23.32h e, basicamente, foi entrar e deitar. Foi necessário algum tempo para adaptar o corpo à trepidação, mas deu para descansar. Chegámos a Hendaye às 11.31h (hora francesa) e aguardámos cerca de uma hora e meia pela ligação para Bayonne. Esta ligação foi feita através do comboio TER (semelhante ao suburbano português) mas ainda mais cómodo e confortável. Lugares com mesa e tomada individual e espaço para transporte de bicicletas. Segundo a app de interrail, a reserva de lugar neste comboio não é obrigatória, no entanto, achámos melhor confirmar na bilheteira. E lá, deram-nos um bilhete gratuito com o número do lugar onde deveríamos sentar. Sempre que possível optámos por comboios cuja reserva não fosse obrigatória para evitar esse custo extra. De Bayonne seguimos para Toulouse e daí para Carcassonne – o nosso primeiro destino a visitar!

 

Travel Blog and Lifestyle ## A paixão, de um, pela fotografia e de outro pela leitura e escrita fizeram com que nascesse a ideia de partilhar as experiências e locais visitados. ## QUEM SOMOS ## CONTACTOS

Deixe uma resposta

error: © All rights reserved